quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Quanto custa tocar na noite?

Mais do que talento e dedicação, é necessário ter um bom equipamento para começar a tocar profissionalmente. Para quem está começando e toca sozinho ou em dupla, uma mesa de som com 4 canais já resolve o problema. Dois microfones (caso seja uma dupla) também bastam (e dois tripés para microfone), junto com uma caixa de som amplificada. O valor médio para um equipamento de qualidade intermediária fica em torno dos R$ 900,00 (sendo otimista). Mas é claro que tudo depende do poder aquisitivo e da possibilidade de investir em produtos de alta qualidade.
Vegas Tuner: Valor médio de R$ 150,00
Folk GF1C: Valor médio de R$: 350,00
Mas ainda falta a peça principal de toda a produção: o violão. Começar a tocar profissionalmente não significa ter que comprar um violão top de linha, tampouco usar um instrumento de baixíssima qualidade (e baixíssimo custo). Para quem quer um instrumento com preço mais acessível e de boa qualidade o Vegas Tuner da TAGIMA e o Violão Folk GF1C da Giannini são boas escolhas. O primeiro possui cordas de nylon (que facilitam o aprimoramento técnico do músico) e já possui um afinador interno. Já o segundo tem cordas de aço e possui recursos presentes apenas em instrumentos profissionais.

Violões profissionais
APX900 da Yamaha
Grand Auditorium 314CE da Taylor
A6 da Godin: Valor médio de R$ 3.000,00
Para quem tem dinheiro sobrando e quer investir em um instrumento de alta qualidade, há algumas marcas que se destacam no ramo. Uma delas é a Yamaha, destaque na escolha de madeiras nobres e com um processo diferenciado de secagem da madeira. Um instrumento da linha APX, por exemplo, custa em torno de R$ 2.500,00. Outra marca que se destaca é a Godin, uma das favoritas de quem toca MPB. Por fim temos a Taylor com o modelo Grand Auditorium 314CE considerado por especialistas como um dos melhores violões do mundo. Os valores encontrados são muito variados, mas não baixa de R$ 3.000,00 (por um instrumento novo), podendo chegar a R$ 7.000,00, dependendo do local de procura.

No vídeo abaixo você confere um pouco da capacidade sonora de um violão da Godin.

2 comentários:

geronimo disse...

Eu fasso V&V pop- rock internacional, porem sempre acabo tendo a vontade de enriquecer o som, seja com percusão eletrónica ou então baixo, ou ate com "midis", assim sempre fico perguntandome, será que o público prefere mesmo a voz e o violão limpos, ou posso correr o risco de mudar de linha? isso envolve despessa com certeza.

Chico Feitosa disse...

Sou um mujsico já tenho trabalho gravado etenho dificuldade em fechar local pra tocar estou procurando parceria para ganhar a vioda tocando meus versos e diversos se tem interesse me escreve e-mail producaochicofeitosa@gmail.com site www.chicofeitosa.com.br
11-971421552

Postar um comentário